sexta-feira, 27 de março de 2009

O que falo no silêncio

O meu silêncio é bom, não é forçado nem se impõe... é espontâneo como a piada, a gargalhada ou qualquer outra expressão que manifeste amor...
Quando digo tive: um dia ordinário, não significa que não tenho vivido o dia, que não tenha aproveitado o dia, mas simplesmente foi tudo tão normal, nada que mereça destaque.
O diário de campo onde registo a informação está cheio de observações, nada que eu queira publicar ou revelar... coisas minhas! que vou riscando, nada que se partilhe e edifique... coisas minhas, futilidades perdidas num tempo estéril.
Gosto de observar, mesmo quando o meu olhar parece disperso, estou observando, não aquilo que observas, mas outras coisas.
Quando me remeto ao silêncio não me fecho, simplesmente não tenho nada a declarar - e isto não é necessariamente mau...
Confesso que os verborreicos me confundem o sistema!
Não tem que haver medo do silêncio e muito do vazio! Ambos existem e são necessários.

Na minha relação com Ele, só quando me calo é que O oiço.

4 comentários:

mccc disse...

Para O escutar bem, só no silêncio.
Sem TV nem rádio, apenas ouvir os sons que nos rodeiam.
Em ambiente silencioso conseguimos pensar, reflectir, escutar e orar.

Bruno disse...

Gosto do silêncio que não +e imposto, nem constragedor! Gosto do silêncio que faz crescer e que edifica. É no silêncio que me descobro, e descobro o outro. Apesar de ter muitas verborreias xD. E gosto do teu silêncio =)

Abraço

Clarinha* disse...

és um homem de Deus... iluminado.
obrigada plas tuas palavras.*

Orquidea disse...

Pois é amigo , há um tempo para tudo, por vezes empregamos o nosso tempo com devaneios e gritarias que não nos levam a lado nenhum , descobrir o dom de escutar o silêncio abre-nos as portas do nosso coração.
O Silêncio é de ouro.
Procura-o e sem notares ele irá enriquecer a tua vida.
É no silÊncio que DEus se manifesta a cada um dos seus filhos.
Bjkas