terça-feira, 13 de maio de 2008

Maravilhosa



No sábado à noite o prior disse algo que me marcou:
Somos demasiado exigentes com Deus e com as coisas de Deus!

Se for à missa e se o padre não me disser aquilo que eu preciso de ouvir, já não me serve!
Se eu fizer uma experiência de fé e se não sentir cócegas na alma, já não foi bom!

Eu sou demasiado exigente com Deus.. Deus tem que me servir!

Quando na realidade, deve ser exactamente ao contrário!


Diz que disse,
Milé
A saudade é um sentimento q ensina a crescer..


Beijo e abraços

3 comentários:

Pin* disse...

viver com Deus e em Deus... por vezes queremos ter arrebates místicos sempre e a qualquer hora que o Senhor vem até nós. esquecemo-nos de viver de coração aberto e humilde, atento às manifestações de Deus. Elevamos a fasquia porque se trata de Deus. e a nossa fasquia como fica? baixinha... para que em caso de queda, não vá o nosso nariz partir-se.
estejamos atentos.*

Nice disse...

Vejamos:para orar é preciso sermos dois.E se Deus está sempre presente,então somos nós que nos temos que colocar na Sua presença e aí permanecer.O problema começa depois em saber o que fazer na presença de Deus.Temos que ter cada vez mais a noção que,nesta relação de amizade(tenho sempre que dar a achega à minha Santa ;)Deus é o principal interlocutor e não nós.Temos que trabalhar cada vez mais a capacidade de nos colocarmos à escuta.E se nos dispomos simplesmente a estar..então estamos!Mesmo que cheguemos à conclusão que durante esse tempo,o nosso espírito esteve sempre cheio de preocupações,cuidados e que a nossa oração foi pobre.Pelo menos estivemos.Permanecemos lá.E muitas vezes é só isso que Deus nos pede...

Orquidea disse...

Sim eu tambem muitas vezes sou assim , sou muito exigente em relação a Deus , quero tudo de mão beijada ,sem esforço , e por vezes confesso ....sem oração.
Mas Deus conhece as nossas fraquezas , conhece cada um de nós, sabe o que precisamos a cada momento, e só nos pede permanencia na casa do Pai, mesmo k muitas vezes confusos....mas aquecemos a cadeira.
«Se permanecerdes fiéis à minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, conhecereis a verdade e a verdade vos tornará livres.» Jo 8 (31-32)